domingo, 6 de novembro de 2016

DUBAI EMIRADO DE DUBAI

DUBAI  EMIRADO DE DUBAI 

Dubai (em árabeدبيّDubayy) é a maior cidade e emirado de mesmo nome dos Emirados Árabes Unidos (uma federação de monarquias absolutas hereditárias árabes).  O Emirado de Dubai está localizado na costa do Golfo Pérsico, sendo um dos sete emirados que compõem o país. Dubai é o emirado mais populoso entre os sete emirados, com aproximadamente 2 262 000 habitantes. Está localizada ao longo da costa sul do Golfo Pérsico na Península Arábica na Ásia. O município muitas vezes é chamado de Cidade de Dubai para diferenciá-lo do emirado homônimo. A cidade é conhecida mundialmente por ser extremamente desenvolvida e por seus enormes arranha-céus e largas avenidas.
Existem registros da existência da cidade pelo menos 150 anos antes da formação dos EAU. Dubai divide funções jurídicaspolíticasmilitares e econômicas com os outros emirados, embora cada emirado tenha jurisdição sobre algumas funções, tais como a aplicação da lei civil e fornecimento e manutenção de instalações locais. Dubai tem a maior população e é o segundo maior emirado por área, depois de Abu Dhabi  Dubai e Abu Dhabi são os únicos emirados que possuem poder de veto sobre questões de importância nacional na legislatura do país. Dubai tem sido governado pela dinastia Al Maktoum desde 1833. O atual governante de Dubai, Mohammed bin Rashid Al Maktoum, é também o Primeiro-Ministro e Vice Presidente dos Emirados Árabes Unidos.
A receita do emirado é proveniente do turismo, do comércio, do setor imobiliário e dos serviços financeiros As receitas de petróleo e gás natural contribuem com menos de 6% (2006 do PIB de 37 bilhões de dólares em 2005  O setor imobiliário e da construção civil, por outro lado, contribuiu com 22,6% da economia em 2005, antes do atual boom da construção em larga escala Dubai tem atraído a atenção mundial por seus projetos imobiliários  e acontecimentos esportivos.
O destaque de Dubai como centro mundial de negócios contrasta com a situação de miséria e de violação de direitos humanosdos trabalhadores na construção civil - grande parte deles migrantes provenientes da ÍndiaBangladeshPaquistãoAfeganistãoYemenSri LankaEtiópiaFilipinasChina ou Síria. Mal pagos e mal alojados, têm sido submetidos a formas de exploração comparáveis às vigentes durante a Revolução Industrial, sendo muitas vezes obrigados a trabalhar sob temperaturas que podem superar 50 °C. São frequentes os casos de suicídio entre os operários.[9] Segundo Sharla Musabih, diretora do abrigo Casa da Esperança, destinado a mulheres vítimas de violência, Dubai progrediu muito economicamente nos últimos 10 anos, mas as condições dos trabalhadores são semelhantes às do século XIX. 

História 

A mais antiga menção de Dubai é de 1095, no "Livro de Geografia" pelo geógrafo árabe-Al-Andalus Abu Abdullah al-Bakri. O mercador veneziano de pérolas Gaspero Balbi visitou a área em 1580 e mencionou Dubai (Dibei) para a sua indústria de pérolas.[16] Registros documentais da cidade de Dubai só existem depois de 1799.[16][17]Os impérios Bizantino e Sassânida constituíam as grandes potências da época, com o Sassânidas controlando grande parte da região. Após a expansão do islamismo na região, o califa omíada, do mundo oriental islâmico, invadiu o sudeste da Arábia e expulsou os Sassânidas. As escavações realizadas pelo Museu de Dubai, na região de Al-Jumayra (Jumeirah) indicam a existência de diversos artefatos a partir do período omíada.[16]Muito pouco se sabe sobre a cultura pré-islâmica no sudeste da Península Arábica, sabe-se apenas que muitas das cidades antigas na área eram centros de comércio entre os mundos Oriental e Ocidental. Os restos de um antigo manguezal, datados em sete mil anos, foram descobertos durante a construção de linhas de esgoto perto de Dubai Internet City. A área foi coberta com areia cerca de cinco mil anos atrás, como o litoral recuou para o interior, tornando-se uma parte da costa atual da cidade.[14] Antes do Islã, o povo desta região adoravam Bajir (ou Bajar).[15]

Era pré-petróleo 

No início do século XIX, o clã Al Abu Falasa (Casa da Al-Falasi) da tribo Bani Yas estabeleceu-se em Dubai, que ficou sob controle de Abu Dhabi até 1833.[18] Em 8 de janeiro de 1820, o xeque de Dubai e outros xeques na região assinaram o "Tratado de Paz Geral Marítima", com o governo britânico.[14]
Entretanto, em 1833, a dinastia Al Maktoum (também descendentes da Casa de Al-Falasi) da tribo Bani Yas assumiu o controle de Abu Dhabi e tomou Dubai do clã Abu Falasa sem encontrar resistência.[18] Com a assinatura do "Acordo Exclusivo" de 1892, Dubai passou a ter a proteção do Reino Unido contra qualquer ataque vindo do Império Otomano.[18] Duas catástrofes atingiram a cidade durante os anos 1800. Primeiro, em 1841, uma epidemia de varíola irrompeu na localidade de Bur Dubai, obrigando a população a deslocar-se para leste de Deira. Em 1894, um grande incêndio em Deira destruiu a maioria das casas.[19]
No entanto, a localização geográfica da cidade continuou a atrair comerciantes e mercadores de toda a região. O emirado de Dubai reduziu então a carga fiscal sobre o comércio, o que atraiu comerciantes de Sharjah e Lengeh Bandar, que eram os principais centros comerciais da região na época.[19][20]

Desde a sua criação, Dubai entrava constantemente em desacordo com Abu Dhabi. Em 1947, uma disputa de fronteira entre Dubai e Abu Dhabi, no setor norte de sua fronteira comum, gerou uma guerra entre os dois estados.[21] A arbitragem feita pelos ingleses e a criação de uma fronteira do leste ao sul da costa de Ras hasian resultou em uma cessação temporária das hostilidades.[22]A proximidade geográfica de Dubai com a Índia tornou a cidade um local importante. A cidade de Dubai foi um importante porto de escala para os comerciantes estrangeiros, principalmente os vindos da Índia, muitos dos quais acabaram por se instalar na cidade. Dubai era conhecida por suas exportações de pérolas até os anos 1930. No entanto, a indústria de pérolas de Dubai foi irremediavelmente danificada pelos acontecimentos da Primeira Guerra Mundial e, posteriormente, pela Grande Depressão na década de 1920. Consequentemente, a cidade assistiu a uma migração em massa de pessoas para outras partes do Golfo Pérsico.[14]

Consolidação e descoberta de petróleo 

No entanto, as disputas fronteiriças entre os emirados continuaram mesmo após a formação dos Emirados Árabes Unidos, foi somente em 1979 que um compromisso formal foi alcançado, o que terminou com as hostilidades e com as disputas fronteiriças entre os dois estados.[23] Eletricidade, serviços de telefone e um aeroporto foram criados em Dubai em 1950, quando os ingleses moveram seus escritórios administrativos locais de Sharjah para Dubai.[24] Em 1966, a cidade se juntou ao país recém-independente do Catar para criar uma nova unidade monetária, o Riyal qatarí, após a desvalorização da Rupia do Golfo Pérsico.[17] No mesmo ano, foi descoberto petróleo em Dubai, após o qual a cidade de concessões para companhias internacionais de petróleo. A descoberta do petróleo levou a um afluxo maciço de trabalhadores estrangeiros, sobretudo indianos e paquistaneses. Como resultado, a população da cidade entre 1968 e 1975 cresceu mais de 300%, segundo algumas estimativas.[25]
Guerra do Golfo Pérsico, de 1990, teve um enorme impacto sobre a cidade. Economicamente, os bancos de Dubai experimentaram uma retirada maciça de fundos devido à incerteza das condições políticas na região. Durante o decorrer da década de 1990, no entanto, muitas comunidades de comércio exterior - primeiro do Kuwait, durante a Guerra do Golfo Pérsico e, posteriormente, do Bahrein, durante o levante xiita, mudaram seus negócios para Dubai.[20] Dubai foi uma base de reabastecimento para as forças aliadas na Zona Franca de Jebel Ali, durante a Guerra do Golfo Pérsico e, novamente, durante a Invasão do Iraque em 2003. Os grandes aumentos no preço do petróleo após a Guerra do Golfo Pérsico incentivou Dubai a continuar a centrar-se no livre comércio e no turismo.[29] O sucesso da Zona Franca de Jebel Ali permitiu que a cidade pudesse replicar seu modelo de desenvolvimento para novas zonas francas, incluindo Dubai Internet CityDubai Media City e Dubai Maritime City. A construção do Burj Al Arab, o hotel autônomo mais alto do mundo, bem como a criação de novos empreendimentos residenciais, foram usados pelo mercado de Dubai, para fins turísticos. Desde 2002, a cidade tem visto um grande aumento do investimento imobiliário privado na recriação skyline de Dubai,[29] com projetos como o Palm IslandsThe World, o Burj Dubai e o The Dynamic Tower. No entanto, o crescimento econômico robusto nos últimos anos tem sido acompanhado por aumento das taxas de inflação (de 11,2% em 2007, quando medido contra o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que é atribuído, em parte devido à quase duplicação do consumo comercial e residencial de renda, resultando em uma substancial aumento do custo de vidapara os residentes da cidade.[30]Em 2 de dezembro de 1971 Dubai, juntamente com Abu Dhabi e outros cinco emirados, formaram os Emirados Árabes Unidos após o fim do protetorado-britânico no Golfo Pérsico, em 1971.[26] Em 1973, Dubai se juntou a outros emirados para adotar uma moeda única: o dirham dos Emirados. Na década de 1970, Dubai continuou a crescer a partir de receitas geradas com o petróleo e com o comércio. Nesse período a cidade teve um grande afluxo de imigrantes libaneses que fugiam da guerra civil.[27] O porto de Jebel Ali (supostamente o maior porto do mundo construído pelo homem) foi estabelecido em 1979. Jafza (Zona Franca de Jebel Ali) foi construída em torno do porto, em 1985, para proporcionar às empresas estrangeiras de importação irrestrita de trabalho e capital exportação.[28]

Geografia 

Dubai está situada na costa do Golfo Pérsico, nos Emirados Árabes Unidos e está praticamente ao nível do mar (16 metros acima). O emirado de Dubai divide suas fronteiras com Abu Dhabi, ao sulSharjah, ao nordeste e com o Sultanato de Omã ao sudesteHatta, um enclave menor do emirado, é cercado em três lados por Omã e pelos Emirados de Ajman (ao oeste) e Ras Al Khaimah (ao norte). Dubai está posicionada a   ocupa uma área de 4.114 quilômetros quadrados.
Dubai situa-se dentro do deserto da Arábia. No entanto, a topografia de Dubai é, significativamente, diferente da topografia encontrada na porção sul dos EAU, visto que grande parte da paisagem de Dubai é destacada por padrões de deserto de areia e cascalho, enquanto os desertos dominam grande parte da região sul do país.[31] A areia é composta principalmente de conchas e corais esmagados. Ao leste da cidade, o sal em crosta de planícies costeiras, conhecido como sabkha, dá lugar a uma linha de dunas. Mais ao leste, as dunas são maiores e vermelhas, graças ao óxido de ferro.[25] A areia do deserto dá lugar às Montanhas Ocidentais Hajar, que correm ao lado do Dubai na fronteira com Omã em Hatta. A cadeia Ocidental Hajar tem uma paisagem árida, irregular e quebrada, cujas montanhas chegam a cerca de 1.300 metros em alguns lugares.
Dubai não tem nenhum rio ou oásis natural, no entanto, possui um estuário natural, a Enseada de Dubai, que foi dragada para torná-la suficientemente profunda para que navios de grande porte possam atravessá-la. Um vasto mar de dunas de areia cobre grande parte do sul de Dubai e, eventualmente, leva para o deserto, conhecido como Rub' al-Khali. Sísmicamente, Dubai está situada numa zona muito estável - a falha sísmica mais próxima, a Falha Zargos, está a 120 km dos EAU e é improvável que tenha qualquer impacto sísmico em Dubai. Os especialistas também prevêem que a possibilidade de um tsunami na região também é mínima, porque as águas do Golfo Pérsico não são profundas o suficiente para desencadear um tsunami.
O deserto de areia que rodeiam a cidade suporta gramíneas selvagens e, ocasionalmente, tamareiras. No deserto, jacintos crescem nas planícies sabkha, ao leste da cidade, enquanto as acácias e árvores ghaf crescem nas planícies próximas das Montanhas Ocidentais Al Hajar. Várias árvores autóctones, como as tamareiras e nim, além das árvores importadas, como o eucalipto crescem no parques naturais de Dubai. Abetardahiena listradas, caracal, a raposa do desertofalcão e Órix-da-Arábia são espécies comuns no deserto de Dubai. Dubai está no caminho de migração de aves entre a EuropaÁsia e África, e mais de 320 espécies de aves migratórias passam pelo emirado, na Primavera e no Outono. As águas de Dubai são o lar de mais de 300 espécies de peixes, incluindo a garoupa.

Estuário de Dubai está localizado do nordeste ao sudoeste da cidade. A seção leste da cidade onde está localidade de Deira, é ladeada pelo Emirado de Sharjah no leste e pela cidade de Al Aweer no sul. O Aeroporto Internacional de Dubai está localizado no sul da cidade, enquanto a Palm Deira está localizada no norte de Dubai, no Golfo Pérsico. Grande parte do boom imobiliário de Dubai, está concentrada na região oeste do Estuário de Dubai, nas proximidades costeiras de JumeirahPorto RashidJebel AliBurj Al Arab, a Palm Jumeirah e as zona francas, tais como Business Bay estão todos localizados nesta região da cidade. Cinco eixos principais - E 11 (Sheikh Zayed Road), E 311 (Emirates Road), E 44 (Dubai-Hatta Highway), E 77 (Dubai-Al Habab Road) e E 66 (Oud Metha Road) - executado através de Dubai, que ligam a cidade a outras cidades e emirados. Além disso, várias importantes rotas de troca da cidade, como a D 89(Al Maktoum Road / Estrada do Aeroporto), D 85 (Baniyas Road), D 75 (Sheikh Rashid Road), D 73 (Al Dhiyafa Road), D 94 (Jumeirah Road ) e a D 92 (Al Khaleej / Al Wasl Road) ligam as várias localidades da cidade. As seções a leste e oeste da cidade são ligados pela pontes Al MaktoumGarhoud AlBusiness Bay Bridge Crossing, pela Ponte Flutuante de Dubai e pelo túnel Al Shindagha.

Cidades irmãs

Dubai possui 27 cidades-irmãs: